Polícia Civil prende suspeito de cometer homicídio em Ubá

Na terça-feira (23/2), a Polícia Civil de Minas Gerais realizou o cumprimento de um mandado de prisão preventiva em desfavor de um homem, de 32 anos, suspeito de praticar homicídio consumado, no município de Ubá, na Zona da Mata mineira, em maio do último ano. Após trabalhos investigativos, a ação foi deflagrada por policiais civis da Delegacia de Homicídios, com apoio da Delegacia Antidrogas da 2ª Delegacia Regional em Ubá. Na ocasião, a vítima, do sexo masculino, foi encontrada morta no interior da casa dela, no dia 23 de maio de 2020. Conforme informações do delegado Bruno Salles Mattos, o laudo pericial concluiu que o homem já se encontrava morto há, aproximadamente, 48 horas, a partir do encontro de seu corpo. Após incessante investigação, apurações indicaram que o crime teria ocorrido em razão do investigado ter pretensão de assumir o bar da vítima e de ficar com os pertences do local. “Uma suposta história de uma sociedade com a vítima foi apresentada. Entretanto, ninguém - ao l

Deputado Cleitinho Azevedo vem a Cataguases para fiscalizar serviços da Copasa






Uma reunião no Educandário Dom Silvério, no centro de Cataguases, entre membros da sociedade civil organizada, representantes do legislativo municipal, juntamente com o deputado estadual Cleiton Gontijo de Azevedo, o Cleitinho, para discutir o contrato com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais - Copasa, na noite desta quinta-feira (11), colocou mais um capítulo nesta novela chamada Copasa. 

Os ex-vereadores, Hercyl Neto e Doutora Maria Ângela Girardi, mostraram mais uma vez o relatório da Comissão Especial de Inquérito (CEI), realizado em 2018, constatando sérias deficiências no abastecimento e tratamento de água realizado e o total descumprimento do contrato para tratamento do esgoto, ambos os serviços realizados pela Copasa. "O negócio continua a mesma coisa, o desserviço continua", pontuou a médica. Hercyl pediu ao deputado que fosse aberta uma comissão da Assembleia Legislativa para investigar a Companhia de Saneamento. "A gente não vê a Assembleia Legislativa de Minas Gerais abrir uma investigação contra a Copasa, ou os deputados, boa parte deles, tem vínculos, recebem indicações dentro da Copasa, ou alguém recebe alguma vantagem, porque não se abre uma investigação, então, o que o senhor poderia liderar é uma investigação com pedido de auditoria", disse o ex-vereador.



Do Legislativo Municipal, compareceram os vereadores Ricardo Dias, Rafael Moreira e Marcos Costa, que devem intensificar as fiscalizações em Cataguases relação a empresa.


A ausência mais sentida foi do deputado Fernando Pacheco (PV), que, segundo os organizadores, foi convidado para o evento. O deputado Cleitinho deixou claro que não deseja passar na frente de ninguém, mas ajudar e unir forças para solucionar o problema. 

Mais cedo, uma manifestação contra a Copasa, na frente da prefeitura, reuniu populares e vereadores, para reclamar da taxa de esgoto sem o tratamento do mesmo. Segundo o ex-vereador, Hercyl Neto, existem elevatórias que não funcionam e o imposto está sendo cobrado mesmo assim.  




Durante a reunião, Cleitinho ligou para o Diretor-Geral da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais – ARSAE-MG, Antônio Claret de Oliveira Júnior, para pedir que a agência venha em Cataguases para ver de perto a situação.


Em entrevista para o Site Mídia Mineira, o deputado Cleitinho disse que vai cobrar fiscalização por parte da ARSAE e juntar forças com o legislativo municipal e prefeito. "Quero deixar bem claro que a gente faz esse trabalho fiscalizando a Copasa, não apenas em Cataguases, isso acontece em Minas Gerais inteira, nos quase 600 municípios que a Copasa opera ela presta um desserviço para a população. As medidas tem de ser tomadas e a gente tem de provocar também o Governador Romeu Zema que é o chefe de Estado", disse.



Um dos organizadores do evento, Silvio Ricardo, disse para o Site Mídia Mineira que buscou a ajuda do deputado porque ele já luta contra a empresa juntamente com seu irmão, em Divinópolis. "O nosso trabalho é para somar. Somar com Fernando Pacheco que é o nosso deputado, que é a nossa maior autoridade eletiva, que a gente tem que honrar, somar com o prefeito José Henriques e com todos seguimentos organizados da sociedade. A nossa função é essa, promover essa mobilização popular organizada, dentro da legalidade", argumentou.

Mídia Mineira

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases