Energisa utiliza helicóptero para inspeções na rede elétrica e garante agilidade em 95% dos serviços

Foram investidos R$ 180 mil para inspecionar 580 km de linhas. O compromisso da Energisa é a excelência no fornecimento de energia elétrica, serviço essencial para toda a população. Por isso, a empresa está investindo cada vez mais em tecnologia e modernizando a rede elétrica. Para agilizar as inspeções na rede, a Energisa Minas Gerais conta com equipamentos modernos e um helicóptero para inspeções visuais e termográficas aéreas nas linhas, garantindo maior rapidez. Dentro do planejamento estratégico de investimento na rede, no mês de março, foram inspecionados aproximadamente 580 km de linhas de transmissão, que interligam as subestações da área de concessão da Energisa em Minas Gerais, um investimento de cerca de R$ 180 mil. Utilizando equipamentos de alta tecnologia, com uma câmera das mais avançadas do mercado, acoplada ao helicóptero, é possível identificar, desde o estágio inicial, os locais onde ações corretivas devem ser realizadas de forma programada. A câmera de

Hotéis passam a integrar a onda verde do plano Minas Consciente

Protocolo sanitário que permite retomada do setor de hotelaria foi articulado pelas secretárias de Cultura e Turismo e Saúde

Foto: Gil Leonardi / Imprensa MG

Desde quinta-feira (28/5), hotéis e similares  passam a integrar a onda verde do plano Minas Consciente, que engloba as atividades essenciais. A decisão foi tomada após apresentação de parecer técnico do Comitê Extraordinário Covid-19 do Governo de Minas Gerais. A conquista foi alcançada em parceria entre as secretarias de Cultura e Turismo (Secult) e de Desenvolvimento Econômico (Sede), que articularam, junto à Secretaria de de Saúde (SES-MG) e ao Comitê Extraordinário, a liberação de protocolos do Minas Consciente que permitam que o setor do turismo volte gradativamente às suas atividades com garantia da segurança à saúde de todos os envolvidos. A inclusão dos serviços de hotelaria foi o primeiro deles.

Cataguases

Em Cataguases, que segue o Programa Minas Consciente, os hotéis também já voltaram a funcionar. A orientação da prefeitura e do Comitê Gestor da Covid-19 é que todos sigam a risca a cartilha do programa com relação a higiene e aglomeração de pessoas. 

Adaptação

O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, destaca que a decisão foi tomada em consideração à relevância econômica do setor para o Estado e com base na avaliação da SES-MG sobre a capacidade de adaptação dos hotéis em relação à higienização e ao distanciamento social. Além disso, o Comitê Extraordinário Covid-19 enxerga os serviços de hospedagem também como um instrumento de combate à propagação do coronavírus,  já que podem ser ocupados como alternativa de moradia por profissionais da Saúde e outras áreas que trabalham na linha de frente do enfrentamento à pandemia.

“Estamos em constante diálogo com a SES-MG para que tudo seja feito da forma mais segura e consciente possível. Consideramos um avanço conseguir fazer com que o setor de hotelaria saia da onda vermelha do Minas Consciente, que representa atividades de alto risco, para a onda verde, dos serviços essenciais. Isso significa o início de uma retomada que está sendo muito bem planejada pela Secult, por meio da avaliação das demandas recebidas de entidades representativas e parceiras da pasta. Reforço que todas as propostas estão sendo construídas em conjunto com os mais diversos atores do turismo em Minas Gerais”, explicou o secretário.

Demanda

Para o secretário-adjunto da Sede, Fernando Passalio, a inclusão dos hotéis na onda de serviços essenciais deve-se à relevância desse segmento em diversos aspectos. “No início, fazíamos ideia de que os serviços de hotelaria pudessem atrapalhar o distanciamento social e a contenção da propagação do coronavírus, por ter muita ligação com as atividades turísticas. Porém, depois que a sociedade passou a ter mais consciência sobre a importância do isolamento, deu-se espaço para o atendimento à demanda do setor hoteleiro, que envolve tantas outras cadeias essenciais da economia. Além disso, muitos setores precisam de hotéis: médicos precisam viajar e prestadores de serviços essenciais também, como pessoas que fazem manutenção de equipamento médico”, afirma.

Como estabelece o Minas Consciente, os municípios mineiros têm total autonomia para decidir sobre a adesão ao plano, baseado em protocolos sanitários e outros índices de monitorameto da pandemia.

Para conhecer detalhes do protocolo sanitário que orienta a retomada do setor, definindo regras de funcionamento, clique aqui. O documento é constantemente atualizado de acordo com as avaliações da Secretaria de Estado de Saúde.

Orientações

O protocolo sanitário dos serviços de hotelaria e similares contém mais de 50 orientações. Uma delas diz respeito à permanência de funcionários pertencentes ao grupo de risco em trabalho remoto. Outra recomendação é para que colaboradores que apresentem sintomas de resfriado ou gripe sejam afastados  das atividades presenciais pelo período mínimo de 14 dias. Também devem ser respeitados o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), a higienização pessoal com a lavagem correta e constante das mãos e uso de álcool 70%, a desinfecção de ambientes e práticas de prevenção como distanciamento social, entre outras.

Fonte: Agência Minas

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases