Covid-19: plano nacional de vacinação terá quatro fases

Proposta preliminar foi discutida em reunião realizada nesta terça-feira Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Agência Brasil O plano nacional de vacinação contra a covid-19 terá quatro fases. Em cada etapa serão atendidos determinados tipos de públicos, escolhidos a partir do risco da evolução para quadros graves diante da infecção, da exposição ao vírus e de aspectos epidemiológicos da manifestação da pandemia no país. A proposta preliminar foi discutida em reunião realizada nesta terça-feira (1º) com a participação do Ministério da Saúde e outras instituições, como a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto Butantan, o Instituto Tecnológico do Paraná e conselhos nacionais de secretários estaduais (Conass) e municipais (Conasems) de saúde. A primeira fase terá como prioridade trabalhadores de saúde, pessoas de 75 anos ou mais e idosos em instituições de longa permanência (como asilos), bem como povos indígenas. Na segunda fase a imunização será focada nos idosos de 60 a 74 anos. Pacientes a partir de 6

Operação conjunta é deflagrada em Ubá para combater adulteração de bebidas alcoólicas


Na quinta-feira (16), a Polícia Civil de Minas Gerais e a Vigilância Sanitária do município de Ubá deflagraram uma operação para combater adulteração de bebidas alcoólicas. As equipes localizaram um caminhão-tanque, no Bairro Paulino Fernandes, transportando 7 mil litros de álcool, sem notas fiscais que comprovassem a origem lícita do produto. Além disso, no momento da abordagem, estava sendo feito o transporte de carga para o interior de uma residência, onde também foram encontrados tanques e barris para armazenamento. Um homem foi encaminhado à Delegacia e responderá a um inquérito policial.

De acordo com o Delegado Regional de Ubá, Diêgo Candian Alves, durante as diligências, em outro local, no Bairro Santa Edwiges, foram encontrados diversas vasilhas plásticas - de vários volumes vazios- tampas de garrafa, essências de sabores e rótulos adesivos, bem como garrafas do produto supostamente adulterado, já embaladas e acondicionadas em fardos, garrafas pet e, aproximadamente, dez tonéis cheios de mil litros. “A Polícia Civil está atuando na investigação e na parte criminal do caso, uma vez que adulterar produtos alimentícios e bebidas (alcoólicas ou não) é crime com pena de detenção de quatro a oito anos. Além dessa prática criminosa, há indícios de crime contra a ordem tributária, em razão do transporte de álcool sem notas fiscais”, explicou o Delegado. Ainda segundo apurações preliminares, seriam misturados diversos produtos como álcool, água, aromatizantes, corantes e outros - ainda a serem analisados - e comercializados como produção de cachaça.

A Vigilância Sanitária do município atuou na fiscalização e avaliou os produtos como impróprios para o consumo, em virtude da falta de regularização e de critérios técnicos na produção e condições de higiene. Ela ficará responsável pelo descarte apropriado dos materiais. 


Durante a operação, um homem foi encaminhado à Delegacia e, a princípio, responderá inquérito policial em liberdade, uma vez que a PCMG aguarda resultados de laudos da Vigilância Sanitária e do Instituto de Criminalística de Belo Horizonte. Ainda segundo a autoridade policial, a ação ocorreu, considerando os casos de contaminação em lotes de bebidas alcoólicas em Minas Gerais, no início do ano. “A Polícia Civil passou a investigar possíveis casos semelhantes na região de Ubá e as apurações seguem em andamento, inclusive, da ação conjunta deflagrada na quinta”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Polícia Civil

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases