Polícia Civil apura caso de estupro de vulnerável em Juiz de Fora

Uma ação foi deflagrada nesta segunda-feira (25/1) com o intuito de cumprir mandados de busca e apreensão em desfavor de um investigado, 30 anos. Nesta segunda-feira (25/1), a Polícia Civil de Minas Gerais cumpriu mandado de busca e apreensão em desfavor de um homem de 30 anos, suspeito de ter praticado estupro de vulnerável, no município de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. Após denúncia de que uma garota - que na época dos fatos tinha 11 anos - teria sido abusada sexualmente em uma escola pública na cidade, no final de novembro de 2018, policiais civis da Delegacia Especializada de Atendimento realizaram uma ação que resultou na apreensão de dois celulares, dois notebooks e de uma CPU, na residência do homem.  Conforme informações da delegada Ione Barbosa, a perícia está atuando na análise do material. “Até o momento, alguns materiais serão enviados para Belo Horizonte para serem analisados. O suspeito também está sendo ouvido e estamos no aguardo do resultado da perícia para to

Programa de Educação Patrimonial recebe inscrições para suas atividades

Presente na cidade desde 2008 sob responsabilidade da servidora pública Virgínia Ribeiro, o Programa de Educação Patrimonial da Prefeitura já atendeu a mais de 7000 pessoas, ensinando sobre  patrimônio histórico-cultural do município. O Programa é vinculado ao Departamento Municipal do Patrimônio Histórico de Cataguases (DEMPHAC), um órgão da Secretaria de Cultura e Turismo que tem como atribuições a difusão e a elaboração de normas e diretrizes para a preservação do Patrimônio Cultural da cidade, por meio do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural.

O Programa de Educação Patrimonial é amplo e atualmente realiza atividades contínuas dentro do ano letivo escolar das escolas municipais de tempo integral, Enedina Prata, do bairro Paraíso, Professora Darcília Guimarães, do Justino, e Professora Maria José Peloso, do bairro Ana Carrara. Além disso, são realizadas atividades pontuais, como por exemplo, as tradicionais visitas guiadas dentro da cidade, reuniões com grupos de recepcionistas de hotéis, associações de moradores e de trabalhadores do comércio.

José Luiz Batista, coordenador do DEMPHAC, comentou a relevância do Programa para o município. “É fundamental para que as pessoas entendam o rico patrimônio existente em Cataguases e saibam a importância de preservá-lo. Aqueles que participam das atividades oferecidas pelo Programa de Educação Patrimonial acabam tendo uma outra visão da nossa cidade e propagam o conhecimento adquirido com aqueles que vivem ao seu redor”, destacou.

Virgínia acrescenta que atualmente, junto com seu colega José Luiz, o objetivo é ampliar o alcance das ações. “As pessoas relacionam a Educação Patrimonial à visita guiada tradicional, feita dentro do trenzinho, mas essa é apenas uma das atividades realizadas. Hoje, o desafio é aproximar esse Programa da iniciativa privada e estendê-lo a mais pessoas para que possamos difundir esse conhecimento de forma ágil”, concluiu.

No último mês, Virgínia Ribeiro participou do 6º Seminário Internacional de Educação Patrimonial, realizado em Juiz de Fora, onde apresentou seu artigo com o título “A diversidade cultural e sua relação no desenvolvimento das comunidades cataguasenses”. O trabalho envolve a participação de estudantes das escolas municipais e faz um levantamento histórico-cultural de diferentes regiões da cidade.


Para agendar participação dentro de uma das atividades do Programa de Educação Patrimonial, o responsável pelo grupo interessado deve procurar o DEMPHAC, localizado na Praça Governador Valadares, 170, ou via telefone, pelo número (32) 3429-2586. O local funciona de segunda sexta-feira, entre 7h e 17h. O contato pode ser feito pelo e-mail: demphac@yahoo.com.br.

Fonte: Prefeitura de Cataguases

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases