Adolescente apontado como autor de homicídio é ouvido pela Polícia Civil em Muriaé

O menor confessou ter torturado e jogado a vítima amarrada, ainda com vida, dentro do Rio Preto em Muriaé. Nesta terça-feira (13), a Polícia Civil conseguiu identificar e capturar um adolescente de 17 anos, morador do bairro União em Muriaé, apontado como responsável pela morte de outro adolescente, de mesma idade, no último domingo (11). A vítima, identificada como Dejair Fernandes Da Silva (foto abaixo), teve as mãos amarradas e foi jogada no Rio Preto . Dejair foi morto com requintes de crueldade Foto: Rede Social De acordo com as investigações realizadas pela Delegacia da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o autor é apontado como gerente do tráfico de drogas no bairro União. A motivação foi o roubo de um celular de uma moradora do bairro pela vítima. O adolescente, como líder do tráfico no local, resolveu fazer justiça com as próprias mãos, para servir de exemplo para todos. Ele contou que torturou a vítima com pauladas e que depois teria amarrado as mão

Prefeito de Dona Euzébia é acusado de compra de votos e abuso de poder político na eleição

[Foto: Prefeitura de Dona Euzébia / Divulgação]

O prefeito de Dona Euzébia, Manoel Franklin Rodrigues, o Nenzinho (Cidadania) e o vice-prefeito, Roberto Marques de Paula (PSDB), compareceram, na manhã desta terça-feira (23), para prestarem depoimentos no fórum de Cataguases, localizado, na Praça Dr. Cunha Neto. Os dois, prefeito e vice, respondem a ação de impugnação de mandato eletivo por compra de votos, proposta pelo segundo colocado no pleito eleitoral, Itamar Ribeiro Toledo, o Mazinho.

Conforme o processo, que o Site Mídia Mineira teve acesso, a inicial aponta 10 fatos atribuídos ao atual prefeito e ao vice, que supostamente caracterizariam abuso de poder econômico e político para obter votos ou impedir que o eleitor fosse votar em outro candidato.

Os fatos apontados são os seguintes:
  1. Doação de piso para eleitor, supostamente pago por Nenzinho em troca de voto;
  2. doação de cestas básicas em troca de votos;
  3. pagamento de R$ 1.500,00 a eleitora para que ela e os membros da família não fossem votar, inclusive com o recolhimento dos documentos (Título de Eleitor e Identidade) para garantir a abstenção;
  4. promessa de doação de casas populares atribuídas ao vice-prefeito em troca de votos;
  5. realização de diversas obras supostamente eleitoreiras às vésperas da eleição;
  6. retirada de dívida no valor de R$ 6 mil junto à Copasa, por intervenção do prefeito, mediante promessa de voto;
  7. pagamento de R$ 4 mil para que eleitor e família mudassem o voto e adesivassem veículo;
  8. realização de serviços de máquinas rurais (retroescavadeira), às custas do Município, em propriedade particular, durante todo o período eleitoral;
  9. Compra de votos por parte da irmã do prefeito, então secretária municipal de Saúde;
  10. Abuso de poder político ao realizar, no período eleitoral, desfiles pelas ruas da cidade dos veículos que adquiriu através da Secretaria Estadual de Saúde.
A acusação vem acompanhada de fotos, áudios e testemunhos de diversas pessoas.

"A gente está aqui tentando defender de dez fatos absolutamente deturpados, algumas verdades deturpadas e outras criadas, passando inclusive pela fraude de áudios juntado aos autos etc. A situação da defesa é uma situação cáustica porque a gente tem que provar que fatos não aconteceram, então nos deparamos com testemunhas instruídas etc, mas a gente tem muita certeza da boa condução que a juíza eleitoral está dando ao caso e a gente acredita nos testemunhos que foram colhidos, nas provas que estão sendo feitas e na absolvição de meu cliente", disse o advogado Roberto Thomaz da Silva Filho, representante da defesa do prefeito Nenzinho, com exclusividade para o Site Mídia Mineira. Confira no vídeo abaixo:


Mazinho, autor do pedido de impugnação, disse que após a apuração dentro do âmbito do Município de várias ocorrências de atos ilícitos, com provas contundentes, no tocante a captação de sufrágio, levou a proposição da ação. "Os fatos são comprobatórios, eu acredito muito na justiça, primeiramente na justiça divina e também na justiça dos homens. [...] Eu acredito que essa matéria está conclusiva e que alcançaremos o provimento necessário para retomarmos aos anseios das atividades administrativas almejadas pelo povo de nossa cidade", disse. Assista a entrevista no vídeo abaixo:


A eleição para prefeito em Dona Euzébia, no ano de 2020, contou com 3 candidatos: Manoel Franklin Rodrigues, o Nenzinho, (Cidadania) que obteve 2.366 votos (49,40%); Itamar Ribeiro Toledo, o Mazinho (DEM) que obteve 2.247 votos (46,92%) e Sebastião Carlos Lacerda (Patriota) com 176 votos (3,68%). O número de eleitores que não votou foi de 644, equivalente a 11,53% do eleitorado.

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases