Proprietário de drogaria é preso em Pádua após vender comprimido abortivo para moradora de Cataguases

Um comerciante de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, foi preso em flagrante, depois de vender, para uma moradora de Cataguases, um medicamento utilizado ilegalmente para a indução do aborto. De acordo com informações, a prisão aconteceu na quinta-feira (21). Policiais Militares do 36º BPM já haviam sido alertados através de denúncia anônima e interceptaram o veículo GM Celta de aplicativo, no bairro Cidade Nova, onde viajava uma mulher, moradora de Cataguases, que levava consigo quatro comprimidos de Cytotec. Ela alegou ter acabado de adquirir em uma drogaria que fica naquele mesmo bairro e que teria pago através de transferência bancária, realizada pelo companheiro, que determinou a interrupção da gestação. O comerciante foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil para as demais providências. Com informações e foto da Folha de Italva  

Professores e alunos de Cataguases aderem paralisação nacional contra corte de verbas na Educação



Professores e estudantes das redes públicas estadual e municipal de Cataguases, aderiram nesta quarta-feira (15), paralisação nacional contra a decisão do governo federal de bloquear verbas das instituições de ensino federais. A paralisação em Cataguases foi encabeçada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais - Sind-Ute e outros movimentos trabalhistas. 

Um evento aconteceu na manhã desta quarta-feira (15), na Praça Chácara Dona Catarina, onde os professores também aproveitaram para protestar contra a Reforma da Previdência. Em seguida os manifestantes se deslocaram para a Praça Rui Barbosa, no centro da cidade em passeata.

O representante do Sind-UTE Cataguases, professor Edison Adriano de Almeida, disse para o Site Mídia Mineira que o movimento em Cataguases é contrário a reforma da Previdência, contra os cortes na Educação de forma geral, tanto do governo federal quanto estadual. Segundo ele, a adesão foi uma das maiores dos últimos tempos, ficando de fora apenas as Escolas Estaduais Guido Marliere e Coronel Vieira e algumas municipais, sendo que algumas pararam parcialmente. Ele confirmou que vários municípios da região também aderiram à paralisação. Conforme explicou os cortes podem atingir as escolas municipais, devido à redução que poderá ocorrer no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), prejudicando assim a rede municipal de ensino.

Pela manhã a Secretaria Municipal de Educação informou que aderiram à paralisação as escolas municipais: Carmelita Guimarães (apenas o turno da tarde), Boaventura Abritta (Cataguarino), Antônio Amaro, Creche Cantinho Feliz, Prefeito José Esteves, Folhinha Verde (apenas turno da tarde), Flávia Dutra, Turminha da Mônica, CAIC, Maria José Peloso, João Ignácio Peixoto (Gloria), Astolpho Rezende (Sereno), Escola municipal Manoel Paes Tiago (Vista Alegre) e Manoel Dutra.










Comentários

  1. Parabéns a todos pela iniciativa da ação contra a perda de direitos, #forabozonaro vamos por essa corja de energúmenos para correr. Eles pensaram que o povo ia permanecer calado frente a toda injustiças, o Brasil está respondendo e a casa grande apavorada, viva a força popular.

    ResponderExcluir
  2. Agora irão dizer que Bolsonaro quebrou o país. Bando de hipócritas.
    Simples, aderiu greve? Não vai trabalhar? Exonera e troca por quem queira levar o país à sério.

    ResponderExcluir
  3. O PT, num passado remoto, cortou as verbas da educação e ninguém fez nada!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases