Polícia Militar age rápido e prende autores do homicídio de motorista de aplicativo em Cataguases

A Polícia Militar prendeu 1 jovem de 19 anos e apreendeu 2 adolescentes pela autoria do crime que vitimou o motorista de aplicativo Fábio Lage , 43 anos, na noite desta terça-feira (26), no bairro Primavera em Cataguases. De acordo com informações da Polícia Militar, após análise do celular da vítima, foi possível localizar os suspeitos, que, após abordagem, confessaram a autoria do crime. Eles contaram que fizeram o chamado pelo aplicativo e quando o motorista chegou ao local, eles o surpreenderam anunciando o assalto. A vítima teria se virado bruscamente e  um dos indivíduos efetuado o disparo que acertou no lado direito do rosto. O veículo, um Chevrolet Cobalt acabou batendo na traseira de um caminhão que estava parado. Os celulares dos autores foram apreendidos e em um deles constava a chamada efetuada e buscas no Facebook sobre o perfil da vítima, indicando a premeditação do crime.

Associação de Mulheres Rurais de Cataguases contará com Food truck; projeto prevê investimentos de R$ 298 mil

A Associação de Mulheres Rurais de Cataguases (AMURC), poderá contar em breve com uma nova ferramenta que irá agregar valor aos seus produtos como o tradicional Café Rural. 

Com apoio da Fundação Banco do Brasil (FBB) a associação está adquirindo um food truck que possibilitará a comercialização dos produtos de forma itinerante em eventos locais. Orçado em R$ 298 mil, além do veículo, uma cozinha industrial e equipamentos para o box que a entidade mantém no Mercado do Produtor estão previstos dentro do projeto “Quitanda sobre Rodas” da FBB.

A execução do projeto impactará de forma positiva cerca de 140 famílias de pequenas produtoras residente nos distritos ou em comunidades da zona rural de Cataguases, afirmou a vice-presidente da AMURC, Maria Inês Oliveira Rocha. Segundo ela, a renda obtida com a comercialização dos produtos gera um incremento médio de 30% na renda familiar das associadas.

Produzidas com matéria-prima orgânica, as broas, biscoitos, bolos e o pastel de angu, entre outras quitandas, já foram reconhecidas por consultores da Associação das Cidades Histórias de Minas Gerais (ACHMG) como histórica e culturalmente autênticas, passando a compor o roteiro turístico da região. Além dos itens do Café Rural, as produtoras comercializam compotas, doces em barra e cristalizados, geleias, polpadas (espécie de doce de colher utilizado como sobremesa, recheio de bolos e acompanhamento de biscoitos) e licores, entre outros itens culinários produzidos com mão-de-obra familiar.


Atualmente, os alimentos são feitos nas cozinhas das produtoras e transportados em carros fretados, sem nenhuma estrutura para tal. Marlene Aparecida do Carmo Soares comercializa o Café Rural para eventos há cerca de 15 anos, junto com a amiga Vanderli Docelino Moisés. Moradora da comunidade da Glória, ela aposta na iniciativa para aumentar o lucro e facilitar o transporte até os locais dos eventos. “Hoje a gente paga até R$ 130 de frete, sem falar que os carros não são próprios para isso. Com esse food truck, a gente espera melhorar o ganho, a produção e a qualidade de vida”.



Com informações e fotos da FBB

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases