Rede de farmácias Indiana inaugura filial em Cataguases

Foi inaugurada nesta quarta-feira (3),  na  Rua Tenente Fortunato, 33, no Centro de Cataguases,  a filial da Indiana Drogaria, Perfumaria e Manipulação. A loja possui cerca de 500 metros quadrados, é totalmente climatizada, com estacionamento exclusivo e oferece um mix de produtos variado. Lá o cliente irá encontrar toda a linha de  medicamentos,  cosméticos, perfumaria com perfumes importados, cirúrgicos, suplementos, produtos para pets e até celulares. Em entrevista exclusiva para o Site Mídia Mineira (vídeo abaixo), o diretor Alexandre Mattar expressou sua alegria em trazer uma unidade da Indiana para cidade: "Cataguases é uma cidade onde já vínhamos procurando a oportunidade de abrir uma filial, pela importância da cidade na Zona da Mata. Temos certeza que vamos surpreender e encantar a população de Cataguases ", disse. Sobre a Indiana Há mais de 86 anos no mercado, a rede de Farmácias Indiana é hoje uma das maiores empresas do ramo farmacêutico do país.

Vítimas de postagens ofensivas no Facebook serão indenizadas

Casal fez acusações falsas de estelionato, organização criminosa e apropriação indébita


O juiz da 4ª Vara Cível da Comarca de Montes Claros, João Adilson Nunes Oliveira, condenou um casal a pagar uma indenização, por danos morais, no valor de R$ 21 mil, para dois homens que comprovaram na Justiça que sofreram ataques com mensagens ofensivas no Facebook.

As vítimas contaram que, por meio da rede social, os ofensores fizeram diversas publicações com teor inverídico e ofensivo. Eles foram acusados de estelionato, organização criminosa e apropriação indébita.

As postagens ofensivas foram feitas pelo homem e apoiadas pelos comentários da mulher. Assim, devido ao conteúdo de caráter calunioso e difamatório das publicações, pediram a exclusão das mensagens e a condenação dos ofensores por danos morais.

A tutela que solicitava a exclusão das publicações foi concedida em caráter de urgência.

Calúnia e difamação

O juiz João Adilson Oliveira afirmou que o fato é de caráter calunioso e difamatório. Considerou que a calúnia e a difamação atingem diretamente os direitos da personalidade, e por isso, deve ser deferido o pedido de compensação por danos morais.

Para o magistrado, as ofensas da mulher atingiu apenas uma das vítimas por meio de seus comentários,. Por isso, ela irá reparar apenas um dos ofendidos em R$ 5 mil.

“Tenho que o destaque das postagens merece maior reprimenda que os comentários, ante a vinculação de dependência entre um e outro tipo de publicação”, disse o juiz.

Sendo assim, determinou que o responsável pelas publicações na rede social indenizasse cada vítima em R$ 8 mil, por danos morais.

A decisão é de primeira instância e é passível de recurso.

Fonte: TJMG 

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases