Corpo é encontrado amordaçado e com as mãos amarradas, boiando no Rio Muriaé

Na manhã deste domingo (11), um corpo do sexo masculino foi encontrado boiando no Rio Muriaé, na altura da Rua Paulo Roberto Guimarães, no bairro Patrimônio São José em Muriaé. Conforme a Polícia Militar, o corpo, ainda não identificado, foi encontrado por moradores que acionaram o corpo de Bombeiros. A vítima estava em avançado estado de decomposição, com as mãos amarradas para trás, vestido com roupas femininas e com a boca amordaçada por uma sacola plástica.  A Polícia Civil irá investigar o caso. Fotos: Site do Silvan Alves  

Operação é deflagrada em Juiz de fora para combater a clonagem de veículos

Durante a ação, duas pessoas foram presas. Além disso, dois veículos foram apreendidos


A Polícia Civil de Minas Gerais realizou uma operação para combater a clonagem de veículos, no município de Juiz de Fora. Durante as diligências, que se iniciaram na noite de segunda-feira (18) e finalizaram nesta manhã (19), dois homens, 30 e 32 anos, foram presos e dois veículos foram apreendidos. Os carros apresentavam semelhantes sinais de adulteração.

De acordo com informações do Delegado Carlos Eduardo Santos Rodrigues, a primeira ação ocorreu no início da noite de ontem, no centro da cidade, e resultou na prisão do suspeito mais novo, abordado no estacionamento de um supermercado, com um dos veículos. Posteriormente, durante as diligências, o segundo carro foi apreendido na residência do outro investigado, localizada no bairro São Geraldo. Além disso, outras diligências foram realizadas pela equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, na madrugada e nesta terça-feira.


A Autoridade policial ressalta que a prática tem sido cada vez mais comum na cidade e o alvo principal dos criminosos seriam veículos de maior valor, logo, são necessários alguns cuidados na compra dos automóveis. "Veículos com preço muito inferior ao praticado no mercado e transações em que o vendedor se nega a fornecer o recibo do veículo devem gerar suspeita por parte do comprador. Em muitos desses casos, o veículo poderá ser um clone ou até mesmo ser comercializado como um "Finan", modalidade em que a pessoa vende o veículo com dívida de financiamento e a propriedade formal - o registro do automóvel- não pode ser transferida ao comprador", informa.

O Delegado destaca, ainda, a importância da colaboração da população. "Existindo casos em que veículos estão sendo negociados por preços muito inferiores aos praticados no mercado - com observações de que não é possível a entrega do recibo no ato da compra -, a população deve denunciar por meio do número 181 (Disque Denúncia Unificado) ou diretamente na Polícia Civil", finaliza.

Fonte: Polícia Civil

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases