PCMG prende em flagrante suspeito pela prática dos crimes de tortura e de cárcere privado em Visconde do Rio Branco

Também foi cumprido mandado de prisão em desfavor do investigado, de 29 anos, após apuração de denúncia relacionada à violência doméstica Na quinta-feira (3/12), a Polícia Civil de Minas Gerais prendeu em flagrante um homem de 29 anos, suspeito de cometer os crimes de tortura e de cárcere privado. A ação ocorreu, após apuração de denúncia relacionada à prática de violência doméstica contra a companheira do investigado. Conforme informações do delegado Aldrey Toledo Ribeiro, no fim de novembro, foi instaurado inquérito policial para apurar os fatos, assim que a PCMG recebeu relatório social do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) com a denúncia, noticiando que a vítima estaria vivendo, há algum tempo, em situação de cárcere privado e de tortura. “O referido documento informava ainda que a mulher seria trazida para a delegacia, no dia 02 de dezembro, quando teria uma consulta com a psiquiatra que estava acompanhando a vítima. No entanto, na data agendada, a vítima não comp

Associação Mineira de Supermercados fala sobre aumento de preços

Na última sexta-feira (27), A Associação Mineira de Supermercados (AMIS), divulgou em seu site uma Carta Aberta aos Consumidores Mineiros, com o objetivo de esclarecer a alta nos preços que o consumidor vem sentindo neste período de isolamento social devido ao enfrentamento da COVID-19.

Segundo a entidade, a alta de preços se concentra principalmente em: laticínios em geral, ovos, feijão, óleo, arroz e alho, devido à grande demanda junto aos fornecedores, provocada pela corrida dos consumidores aos supermercados o que fez com que os estoques baixassem e houvesse a necessidade de reposição imediata. "Os supermercados estão tentando exaustivamente negociar com seus fornecedores, mantendo a margem de comercialização, buscando evitar que os preços desses produtos sofram reajustes", diz a nota.

A entidade enviou ofícios ao PROCON e ao Governo de Minas manifestando sua preocupação em relação à pressão dos fornecedores por aumento de preços e pede aos consumidores que evitem a formação de estoques domésticos, o que aumentaria a demanda para reposição do estoque e prejudicaria a negociação junto aos fornecedores. A AMIS também aconselha a troca de produtos conhecidos do consumidor por marcas alternativas.

Confira abaixo a carta na íntegra:
CARTA ABERTA AOS CONSUMIDORES MINEIROS

Aumento de Preços
A Associação Mineira de Supermercados (AMIS) vem esclarecer altas de preços que alguns produtos sofreram nos últimos dias:
  1. As empresas supermercadistas estão solidárias e trabalhando incansavelmente no enfrentamento da pandemia Covid-19. Os supermercados estão abastecidos e em funcionamento.
  2. O novo desafio tem sido enfrentar reajustes de preço de seus fornecedores.
  3. A pressão por aumento de preços está concentrada principalmente nos seguintes produtos: laticínios em geral, ovos, feijão, óleo, arroz e alho.
  4. A pressão por aumentos ocorre neste momento de reposição de estoques. Com a alta demanda geral registrada no início do enfrentamento da pandemia, os estoques, que garantiriam abastecimento durante determinado prazo de tempo, foram rapidamente consumidos, o que gerou a necessidade de novas compras junto aos fornecedores. Com o excesso de demanda, os preços sofrem pressão. Os fornecedores alegam aumento de custos em seus insumos.
  5. Os supermercados estão tentando exaustivamente negociar com seus fornecedores, mantendo a margem de comercialização, buscando evitar que os preços desses produtos sofram reajustes. A reposição se faz necessária para evitar desabastecimento.
  6. Como elo final da cadeia de abastecimento entre os fabricantes e os consumidores, os supermercados apenas repassam o custo dos produtos que adquirem da indústria.
  7. A AMIS enviou ofícios ao PROCON-MG e ao Governo de Minas, manifestando sua preocupação em relação à pressão dos fornecedores por aumento de preços.  Ao mesmo tempo, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) está mantendo permanente contato com o Governo Federal.
  8. A AMIS pede a colaboração dos consumidores para que evitem a formação de estoques domésticos.  Uma demanda excessiva prejudica a negociação dos supermercados com os fornecedores por preços estáveis.
  9. Recomenda também a substituição de itens de sua rotina de compras, quando possível, e/ou aquisição de marcas alternativas. 

Belo Horizonte, 27 de março de 2020
ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE SUPERMERCADOS (AMIS)

*Imagem da Internet / ilustrativa

Comentários

  1. Além da ganância e oportunismo em casos de calamidade pública desses empresários terroristas, a culpa também é do governo e órgãos de imprensa que ficam o tempo todo causando histeria na população como se o mundo fosse acabar por causa de uma gripe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases