Ação conjunta prende suspeito e apreende droga em Juiz de Fora

Autor estava com a filha de 11 anos e responderá também por corrupção de menor Nesta terça-feira (19/1), uma ação conjunta entre a Polícia Civil de Minas Gerais e a Polícia Rodoviária Federal resultou na apreensão de 19 tabletes de pasta base de cocaína, droga avaliada em cerca de R$2,5 milhões, e de R$30 mil, no município de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. Um suspeito foi preso. Em novembro do último ano, outra operação integrada entre as duas instituições culminou na apreensão de drogas avaliadas em R$3 milhões. O material foi encontrado no interior de um veículo que estava em um posto de combustíveis, na Zona Norte da cidade. Além disso, o motorista, de 39 anos, foi preso em flagrante. No momento da abordagem realizada por policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e policiais da PRF, o homem estava com a filha dele, de 11 anos, que, posteriormente, foi entregue a um familiar responsável. O suspeito foi encaminhado ao Plantão da 1ª Delegacia Regional em

I Encontro de Vigilância Sanitária de Cataguases marca os 26 anos do órgão no município

A Vigilância Sanitária de Cataguases (VISA Cataguases), promoveu na noite desta quarta-feira (15), no Bevile Hotel, o I Encontro de Vigilância Sanitária de Cataguases com o tema “VISA Cataguases 26 anos! Os desafios de promover e proteger a saúde”. O evento faz parte das comemorações da Primeira Semana de Vigilância Sanitária do Município que começou na segunda-feira (13) com ação educativa no Calçadão. 

O encontro organizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, através da VISA Cataguases, contou com a participação do prefeito Willian Lobo de Almeida, dos vereadores Betão do Remo, Marquinhos do Açougue e Maria Ângela Girardi, empresários, servidores da área de saúde e representantes da sociedade civil, além de palestras ministradas pelo promotor de justiça Dr. Rodrigo de Barros; pela coordenadora da Regional de Leopoldina, Maria Luiza da Silva de Souza e da coordenadora da VISA Cataguases, Elisângela Silveira Stephan.


O promotor de justiça, Dr. Rodrigo de Barros, explicou vários pontos legais do funcionamento da VISA, destacando que o campo de atuação é bem abrangente e elogiou o fato da coordenação estar sendo prestada por funcionário efetivo e sendo mantida pelo município de forma isenta, fiscalizando a própria administração pública.

Na ocasião foram homenageados os servidores fiscais sanitários: Daniela Ferreira de Souza (primeira fiscal sanitária concursada do município), Weslei Alves de Andrade e Roseli Batista Ferreira.




O secretário de Saúde, Eliermes Teixeira disse que o evento foi um marco para a VISA de Cataguases. "Não queremos que a população veja a VISA como um problema, ela deve ser vista como uma repartição capaz de orientar aqueles que são fiscalizados. É um evento que só traz ganhos ao nosso município e nós só temos que comemorar esses 26 anos".

Ao final, o prefeito Willian Lobo lembrou que sempre procurou dar autonomia para o órgão trabalhar e que o Município poderia fazer muito mais para equipar a Vigilância Sanitária mas ressaltou que a dívida do Governo de Minas apenas com a saúde, o que engloba também a VISA, já ultrapassou R$ 10 milhões. Ele agradeceu ao promotor Dr. Rodrigo de Barros pelo apoio do Ministério Público no tocante da dívida do Estado com o Município.

“Difícil ter de falar sobre isso mas com tantos indicadores positivos que vocês mostraram aqui poderia ser ainda melhor se o Estado cumprisse com a sua parte. Alguns podem dizer que é mentira mas nós mostramos provas para o Ministério Público que aqui se fez presente”, explicou o prefeito para nossa reportagem.


Elisângela Stephan disse para reportagem do Site Mídia Mineira que o encontro serviu para uma maior interação entre Ministério Público, secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária, bem como para maior compreensão de todos os presentes sobre o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária onde toda vigilância está inserida. “Foi bem proveitosa essa conversa porque esteve presente tanto o Ministério Público quanto o Estado na representatividade da Luiza [Coordenadora Regional], portanto, foi atingindo o objetivo de trazer para as autoridades, representantes da sociedade civil e para os próprios fiscais a real função da Vigilância Sanitária”, ressaltou. A coordenadora também explicou que a parte punitiva da vigilância, apesar de ser mais visível para sociedade é o que menos a VISA faz hoje. “Se você for levar em consideração o número de processos administrativos que a Vigilância tem hoje, perto do número de inspeções que a gente faz, você vê que é um número insignificante, são pouquíssimos estabelecimentos que a gente tem de atuar com poder de polícia”, disse. Segundo Elisângela, o que mais acontece é a orientação e prestação de serviço de informação que contribui inclusive para mudança organizacional da empresa, melhorando os processos e evitando perdas o que acaba retornando em benefício para empresa e população.



Dos 15 municípios que compõem a regional, Cataguases é o município onde a Vigilância Sanitária está melhor estruturada, prestando serviços de fiscalização em setores que ainda não são fiscalizados nos demais municípios.




Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases