Amazon Prime Vídeo
Drogaria Santa Rita DecolaNet RÁDIO BRILHO CATAGUASES - MG

Polícia Civil desmantela organização criminosa especializada em assaltos milionários a residências com a prisão de 7 suspeitos

A ação é resultado da soma de esforços das equipes da Polícia Civil de Minas Gerais e da Polícia Civil do Rio de Janeiro.






Na data de hoje foi deflagrada operação denominada "Esquema preferido" pelas Polícias Civis de Minas Gerais e Rio de Janeiro em conjunto com o Gaeco Zona da Mata.

A ação é resultado da soma de esforços das equipes da Polícia Civil de Minas Gerais através da Delegacia de Divino/MG, do Gaeco Zona da Mata e da Polícia Civil do Rio de Janeiro através da 107ª Delegacia de Paraíba do Sul/RJ.

Após a terceira fase da operação Marcos 4:22 deflagrada no dia 31/03/2021 em investigação realizada pela 37ª Delegacia de Polícia Civil de Divino/MG, as equipes da Polícia Civil de Minas Gerais e do Rio de Janeiro iniciaram contato a fim de trocar informações a respeito de suspeitos em comum a ambas investigações e, a partir daí, foi então estabelecido uma produtiva parceria entre as referidas equipes.

As investigações realizadas em conjunto pelas Unidades Policiais levaram a identificação até o momento de 07 suspeitos de integrarem a aludida organização criminosa, suspeita de cometer diversos assaltos a estabelecimentos e residências nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As investigações dão conta de o grupo teria roubado pelo menos cinco milhões de reais em espécie nos últimos meses além de diversos outros objetos, sendo certo que no início de março deste ano a quadrilha roubou 3 milhões e trezentos mil reais em espécie e outros objetos na cidade de Paraíba do Sul/RJ, os quais foram recuperados em parte na terceira fase da operação Marcos 4:22.

Os trabalhos investigativos e informações coletadas até presente o momento foram encaminhados ao Juízo da Comarca de Paraíba do Sul/RJ através de Relatórios elaborados pelas Polícias de ambos os estados, motivando a expedição de 7 mandados de prisão em desfavor dos suspeitos, sendo 02 deles moradores da cidade de Divino/MG, 01 da cidade de Muriaé/MG e 04 da cidade de Juiz de Fora/MG, sendo que dois dos 07 investigados já havia sido preso na 3° fase da operação Marcos 4:22.

As Polícias dos dois estados acreditam que os membros da organização criminosa em comento sejam autores de diversos assaltos cometidos nos últimos anos em diferentes municípios de ambos os estados, onde os criminosos usaram sempre o mesmo modus operandi, qual seja, abordavam alguém com acesso ao interior do imóvel alvo da ação do lado de fora do mesmo e, em seguida, forçavam o refém a dar acesso ao interior do imóvel aos demais membros do grupo, sendo todos mantidos sob domínio de armas de fogo.

As investigações revelaram que a quadrilha já vinha agindo há um bom tempo com divisão de tarefas previamente delineadas, havendo indícios de participação de mais componentes ainda não identificados.

Os suspeitos de maior hierarquia no grupo e destinatário das maiores partes na partilha dos frutos dos crimes estavam investindo os valores provenientes de tais crimes em imóveis de alto padrão, veículos de luxo, jet-ski etc.

Na data de hoje foram cumpridos diversos mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão.

O nome dado a operação faz referência ao fato de existirem informações no sentido de que parte do grupo também possui envolvimento com o tráfico de drogas, contudo parecem preferir o esquema de assalto a residências visando grandes quantias de dinheiro em espécie.

As investigações foram feitas pela força tarefa composta por agentes integrantes das equipes da Delegacia de Polícia Civil de Divino/MG, coordenados pelo Delegado Dr. Cristiano Silva de Almeida, pelo Gaeco Zona da mata, coordenados nesta investigação pelo Dr. Romulo de Freitas Segantini e pela equipe da 107ª Delegacia de Polícia Civil de Paraíba do Sul/RJ, coordenados pela Dra. Cláudia Abbud, contando, ainda, com a participação da Polícia Militar de Paraíba do Sul/RJ e da Polícia Rodoviária Federal de Muriaé/MG.

Fonte: Assessoria de  Comunicação da Polícia Civil

Comentários