Corpo é encontrado amordaçado e com as mãos amarradas, boiando no Rio Muriaé

Na manhã deste domingo (11), um corpo do sexo masculino foi encontrado boiando no Rio Muriaé, na altura da Rua Paulo Roberto Guimarães, no bairro Patrimônio São José em Muriaé. Conforme a Polícia Militar, o corpo, ainda não identificado, foi encontrado por moradores que acionaram o corpo de Bombeiros. A vítima estava em avançado estado de decomposição, com as mãos amarradas para trás, vestido com roupas femininas e com a boca amordaçada por uma sacola plástica.  A Polícia Civil irá investigar o caso. Fotos: Site do Silvan Alves  

Cataguases está em situação de alerta para infestação do Aedes aegypti


A Prefeitura Municipal de Cataguases, por 
meio da secretaria de Saúde, divulgou no último dia 20 o resultado do primeiro LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti e Aedes albopictus), que ajuda a mapear os índices de infestação dos mosquitos na cidade. O levantamento aconteceu entre os dias 11 e 15 deste mês, e 1597 imóveis de Cataguases foram pesquisados pelo Núcleo de Controle de Endemias como amostragem. 

O índice de infestação predial de Aedes aegypti ficou em 3,1 e o de Aedes albopictus foi 2,1. Ambos os índices são considerados de médio risco. De acordo com o Ministério da Saúde, o índice é considerado satisfatório quando fica abaixo de 1%; situação de alerta quando está no intervalo entre 1% e 3,9%; e indica risco de surto quando é igual ou superior a 4%.

Conforme a pesquisa, os principais focos foram encontrados em vasos de plantas com água, pratos de vasos, bebedouros, fontes ornamentais e materiais de construção. Tanto o Aedes aegypti como o Aedes albopictus são mosquitos transmissores da dengue, da chikungunya, da zika e da febre amarela. 

Para reduzir os índices do LIRAa e a transmissão dessas doenças, é fundamental a participação do cidadão na eliminação dos possíveis focos dos mosquitos dentro de suas residências. O Índice de Infestação Predial preconizado pelo Ministério da Saúde é inferior a 1%.

A coordenadora de vigilância em saúde, Amanda Souza Penha, explica que durante a pandemia a responsabilidade dos cidadãos aumentou ainda mais. “A prefeitura realiza rotineiramente ações de controle, como o Bota-Fora Contra a Dengue, campanhas de conscientização e a visita domiciliar com a equipe do Núcleo de Controle de Endemias. Entretanto, desde o dia 26 de março de 2019, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, por meio de portaria da Secretaria de Vigilância em Saúde, os agentes de combate a endemias não entram mais no interior das residências, devido ao risco de transmissão da Covid 19. Então, é preciso que a população mantenha a vigilância constante”, disse.

A prefeitura mantém o telefone 3422-3589 como canal de comunicação sobre a doença para receber denúncias e esclarecer as dúvidas dos cidadãos. O contato deve ser feito entre segunda e sexta-feira, de 7h às 17horas.

Fonte: Jornal Cataguases 

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases