Ação conjunta prende suspeito e apreende droga em Juiz de Fora

Autor estava com a filha de 11 anos e responderá também por corrupção de menor Nesta terça-feira (19/1), uma ação conjunta entre a Polícia Civil de Minas Gerais e a Polícia Rodoviária Federal resultou na apreensão de 19 tabletes de pasta base de cocaína, droga avaliada em cerca de R$2,5 milhões, e de R$30 mil, no município de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. Um suspeito foi preso. Em novembro do último ano, outra operação integrada entre as duas instituições culminou na apreensão de drogas avaliadas em R$3 milhões. O material foi encontrado no interior de um veículo que estava em um posto de combustíveis, na Zona Norte da cidade. Além disso, o motorista, de 39 anos, foi preso em flagrante. No momento da abordagem realizada por policiais civis da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e policiais da PRF, o homem estava com a filha dele, de 11 anos, que, posteriormente, foi entregue a um familiar responsável. O suspeito foi encaminhado ao Plantão da 1ª Delegacia Regional em

Candidato acusa assessores do deputado Fernando Pacheco de comprar votos para campanha de José Henriques a prefeito de Cataguases


Uma denúncia do candidato Carlos Magno, o Maguinho (PSL), sobre suposta compra de votos realizada por assessores do deputado estadual Fernando Pacheco (PV) para beneficiar a campanha do candidato José Henriques (MDB), sacudiu o meio político de Cataguases, após o primeiro debate de candidatos a prefeito, realizado pelo Sistema Multisom de Rádio.

No vídeo divulgado na página de Carlos Magno, aparecem o empresário Marco Antônio Cadete Souza,  conhecido como Marco Antônio da VT, juntamente com o assessor de Fernando Pacheco, Edson Antônio de Campos Hessel, dizendo abertamente que já entregaram mais de 300 cestas básicas. No vídeo também são citadas a filha de Marco Antônio VT e a esposa do candidato José Henriques, Gabriela, ambas são assessoras do deputado estadual Fernando Pacheco Fialho.

O Site Mídia Mineira entrou em contato com o candidato Carlos Magno, o Maguinho, por telefone, o qual informou que a campanha deverá entrar com denúncia no Ministério Público nesta segunda-feira (19), onde deverá disponibilizar o vídeo completo, sem cortes e que as pessoas que realizaram a gravação ficarão a disposição da justiça para depor. Segundo ele, a gravação ocorreu em 27 de junho de 2020 às 14 horas, quando todos pré-candidatos já eram conhecidos. Em relação ao empresário ter realizado entrega também no Município de Santana de Cataguases, Maguinho disse o seguinte: "Tem muita gente em Santana que vota em Cataguases e gente de Cataguases que vota em Santana". 

O Site apurou também que já existem outras denúncias formuladas ao Ministério Público, com pedido de investigação sobre o caso.

Em nota na rede social, Marco Antônio VT confirmou a distribuição de cestas básicas, mas disse que o vídeo foi maldosamente editado e que a conversa aconteceu no início do período da pandemia. "Enquanto eu puder ajudar as pessoas, ninguém vai me impedir. Não sou candidato, sou civil livre para ajudar quem eu quiser!". Disse. Na nota ele não esclarece se as cestas foram compradas por ele ou pelo deputado Fernando Pacheco. (confira a nota na íntegra no final da matéria).

Também em nota, enviada para redação do site Mídia Mineira, o candidato José Henriques disse que o vídeo compartilhado por Maguinho trata-se de "crime de Fake News eleitoral", que estão sendo tomadas as medidas de representação eleitoral e criminal contra o candidato Maguinho e também contra a candidata Elizângela Barros (que está compartilhando o vídeo no Whattsapp e solicitando às pessoas que compartilhem). Segundo ele, o vídeo mostra um fato ocorrido há 6 meses quando, no início da pandemia, todas as pessoas da cidade de mobilizaram para doar alimentos aos necessitados, que as doações alcançaram, inclusive, municípios vizinhos como Santana.

"Repudio as más práticas eleitorais de candidatos que demonstram estar mais preocupados em disseminar ódio e mentiras do que com nossa população e com projetos para nossa cidade, o que realmente importa", diz a nota de José Henriques. Leia a nota na íntegra no final da matéria.

Assista abaixo aos vídeos:



Confira abaixo a transcrição do diálogo do vídeo:
  • Marco Antônio VT - Aqui nós já distribuímos mais de 300 cestas básicas, nossa Senhora.
  • Mulher - Aqui em Cataguases mesmo?
  • Marco Antônio VT - Cataguases e distritos.
  • Muher - Aqui tem muitos distritos?
  • Marco Antônio VT - Tem cinco.
  • Mulher - Eu não conheço.
  • Marco Antônio VT - Eu levei, até em Santana.
  • Mulher - Santana ...
  • Marco Antônio VT - Santana também não faz parte daqui, mas eu levei até em Santana.
  • Homem - É gente, política é dinheiro, 300 cestas básicas não é fácil não.
  • Marco Antônio VT - Pô nós já distribuímos 300, fora assim, as minhas filhas distribuíram por conta delas, minhas duas filhas, uma é assessora do Fernando Pacheco e a outra mora no Rio, mas tá aqui por causa da pandemia né. 
  • Homem - O Zé Henriques é o candidato a prefeito?
  • Mulher - Pré candidato né?.
  • Marco Antônio VT - É, a Gabriela é assessora do Fernando Pacheco também.
  • Mulher - Ela que vai contratar?
  • Marco Antônio VT - Ela que vai contratar. Ontem eu estava na casa dela, sai de lá quase 1 hora da manhã.
  • Homem - A gente estava falando sobre isso.
  • Marco Antônio VT - Nós vamos levar 10 agora, 10 famílias estão em uma dificuldade tremenda cara. Isso caiu igual uma bomba para os concorrentes dele, estão desesperados e a gente está fazendo porque é uma situação crítica.
Esta não é a primeira vez que um candidato faz denúncia contra o candidato José Henriques. Em entrevista recente a Rádio Brilho FM, a candidata Elizângela Barros, disse que em reunião, o empresário Marco Antônio VT, teria oferecido cargo na assessoria do deputado Fernando Pacheco para ela e seu marido, para que a mesma abandonasse a candidatura.

Nota oficial do candidato José Henriques enviada para o Site Mídia Mineira:
Eu, José Henriques, informo que o vídeo editado e compartilhado no facebook pelo candidato Maguinho trata-se de crime de Fake News eleitoral e que estão sendo tomadas as medidas de representação eleitoral e criminal contra o candidato Maguinho e também contra a candidata Elizangela Barros (que está compartilhando o vídeo no Whattsapp e solicitando às pessoas que compartilhem).

A ação do candidato Maguinho foi premeditada e maliciosa, pois o vídeo mostra um fato ocorrido há 6 meses quando, no início da pandemia, todas as pessoas da cidade de mobilizaram para doar alimentos aos necessitados frente a omissão do poder público. Foram criados vários grupos de ajuda em toda cidade e as doações alcançaram, inclusive, municípios vizinhos como Santana.

Ademais vale ressaltar que a distribuição foi feita pelo cidadão Marco Antônio e sua família sem minha participação ou envolvimento.

Observe-se ainda que, o vídeo foi grosseiramente editado motivo pelo qual já foi solicitado à justiça para que o candidato apresente o vídeo na sua íntegra.

Oriento as pessoas que compartilharam que retirem as postagens sob pena de, também, serem indiciadas por prática de crime eleitoral e criminal. Esclarecendo que, de acordo com os artigos 323 e seguintes, da lei eleitoral 4737/65, a pena pode variar de 6 meses a 2 anos, e pagamento de 10 a 40 dias-multa e segundo o Código Penal, os crimes contra a honra podem variar de seis meses a dois anos, e multa.

Repudio as más práticas eleitorais de candidatos que demonstram estar mais preocupados em disseminar ódio e mentiras do que com nossa população e com projetos para nossa cidade, o que realmente importa.

Nota de Marco Antônio VT em rede social:

 

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases