Covid-19: plano nacional de vacinação terá quatro fases

Proposta preliminar foi discutida em reunião realizada nesta terça-feira Foto: REUTERS/Dado Ruvic/Agência Brasil O plano nacional de vacinação contra a covid-19 terá quatro fases. Em cada etapa serão atendidos determinados tipos de públicos, escolhidos a partir do risco da evolução para quadros graves diante da infecção, da exposição ao vírus e de aspectos epidemiológicos da manifestação da pandemia no país. A proposta preliminar foi discutida em reunião realizada nesta terça-feira (1º) com a participação do Ministério da Saúde e outras instituições, como a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto Butantan, o Instituto Tecnológico do Paraná e conselhos nacionais de secretários estaduais (Conass) e municipais (Conasems) de saúde. A primeira fase terá como prioridade trabalhadores de saúde, pessoas de 75 anos ou mais e idosos em instituições de longa permanência (como asilos), bem como povos indígenas. Na segunda fase a imunização será focada nos idosos de 60 a 74 anos. Pacientes a partir de 6

Governador planeja economizar com corte de medalhas

Das 11 comendas existentes hoje por lei, o Governo de Minas quer manter apenas a da Inconfidência

Proposta é que seja mantida apenas a entrega da Medalha da Inconfidência, em Ouro Preto.
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG
Por determinação do governador Romeu Zema, o Governo de Minas pretende economizar alguns milhões de reais com o corte de medalhas que tradicionalmente são entregues pelo Estado para homenagear personalidades de diversas áreas. Somente em 2018, foram gastos mais de R$ 3,3 milhões para bancar eventos de entrega de 11 medalhas, número de honrarias existentes em Minas conforme lei.

O objetivo do governador é propor à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que seja mantida apenas a entrega da Medalha da Inconfidência, que acontece em 21 de abril, em Ouro Preto, a mais alta comenda concedida pelo Governo de Minas. A proposta é que a homenagem deste ano seja feita às Forças Integradas de Segurança, que atuam no socorro e proteção às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho, como Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e polícias Militar e Civil.

Esta é mais uma medida da nova gestão para reduzir gastos desnecessários e investir em áreas essenciais, perseguindo sempre o equilíbrio das contas para colocar em dia os compromissos do Estado. “Vamos reconhecer quem merece, economizando o dinheiro que os mineiros pagam em impostos”, afirmou o Romeu Zema. 

A honraria que demanda mais recursos é o Dia de Minas, em Mariana, realizada todos os anos em julho. Em 2018, foram gastos R$ 714 mil com o evento. A segunda que gera mais gastos é a da Inconfidência. No ano passado, o valor pago para a realização do evento foi R$ 631.959. Em 2016 e 2017, chegou-se a gastar R$ 1,15 milhão no evento.

As medalhas em 2018

  • Medalha Dia de Minas Mariana - R$ 714.478
  • Medalha da Inconfidência - R$ 631.959
  • Entrega de Medalha JK - R$ 416.067
  • Medalha Santos Dumont - R$ 389.399
  • Medalha Matias Cardoso – R$ 277.477
  • Comenda Antônio Secundino – R$ 175.429
  • Medalha Chico Xavier – R$ 137.217
  • Medalha Teófilo Otoni - R$ 88.312
  • Medalha do Mérito da Defesa Civil - R$ 77.607
  • Medalha Calmon Barreto - R$ 37.867
  • Medalha do Mérito da Advocacia Geral do Estado - R$ 1.320
  • Gastos com a compra de medalhas em 2018 - R$ 263.898
  • Diárias Segov – R$ 90.273
Fonte: Agência Minas

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases