Após denúncia MP irá apurar descumprimento de protocolo na vacinação contra a Covid-19 em Cataguases

Vereador Rafael Moreira solicitou nome das pessoas que foram vacinadas, mas não foi atendido A 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Cataguases, por meio da Promotora de Justiça Amanda Merlini Dutra Osipe, instaurou procedimento para apurar eventual descumprimento dos Planos Nacional e Estadual de Vacinação contra a Covid-19, pelo Município de Cataguases nesta sexta-feira (22). Conforme Nota Pública daquela procuradoria, enviada para a redação do Site Mídia Mineira, o objetivo de tal procedimento será apurar se pessoas que não se enquadram no grupo prioritário eleito pelas autoridades  sanitárias foram beneficiadas com a imunização. Confira a nota na íntegra no final da matéria. A administração terá 24 horas para enviar os seguintes documentos: Encaminhar a relação de pessoas que já foram ou serão imunizadas, indicando o nome completo e qual o grupo prioritário pertence; Informar quantas doses foram destinadas a cada grupo prioritário; Explicar se foi possível vacinar todos os idosos

Loja Maçônica Cataguasense comemora 130 anos com inauguração do Espaço Paulo Lúcio Rodrigues

A Loja Maçônica Cataguasense, completou no dia 19 de outubro, 130 anos de fundação na cidade. Para celebrar a data, foi realizada na noite desta sexta-feira (20), um jantar comemorativo com membros e familiares que contou com o som ao vivo do músico Fabiano Amorim. Na ocasião foi inaugurado o terceiro andar da Loja. O espaço recebeu o nome de Paulo Lúcio Rodrigues, grande homenageado da noite, com uma placa comemorativa.

Paulo Lúcio Rodrigues se dedica a Loja Maçônica Cataguasense há 41 anos. Entrou na maçonaria em 18 de novembro de 1977 onde foi Venerável por 2 mandatos consecutivos, entre os anos de 1987 a 1991. Foi orador, mestre de cerimônias, deputado, chanceler e delegado da Loja, nomeado pelo Grão Mestre de Belo Horizonte.



Maçonaria em Cataguases

Fundada em 19 de outubro de 1888, a Loja Maçônica Cataguasense, já funcionava em Cataguases, desde 1883, no mesmo local, com o título de Loja Maçônica “Flor da Viúva”. Em seus 130 anos na cidade tem influenciado e ajudado positivamente a vida dos munícipes. 

Adão Lacerda Neto é o atual venerável
da Loja Maçõnica Cataguasense.
Seu primeiro venerável mestre da Flor da Viúva foi José dos Santos Júnior. A Loja Maçônica sempre participou ativamente em diversos momentos do município. Entre estes momentos, a edificação do Hospital de Cataguases por Dr. Norberto Custódio Ferreira e Coronel João Duarte, influenciados pelo maçom José Gustavo Cohen. Outra importante intervenção da Maçonaria em Cataguases, foi referente à implantação da Igreja Metodista, impedindo que o reverendo Felipe Ravaglia de Carvalho que chegou a ser arrastado por um cavalo fosse expulso da cidade. Mais tarde o reverendo também se tornaria maçom. Também passou pela Loja Maçônica de Cataguases o poeta vassourense, Joaquim Osório Duque-Estrada, autor da letra do Hino Nacional Brasileiro. O poeta foi iniciado na Loja Maçônica Cataguasense no dia 2 de agosto de 1894. O Hino Nacional viria a ser composto anos mais tarde, quando o poeta ainda frequentava as oficinas em Cataguases, podendo ter sido escrito na cidade.

Até o momento passaram pela Loja Maçônica Cataguasense 86 veneranças, fundando diversas outras lojas como: Unidos em Recreio (Recreio), 27 de abril (Leopoldina), Porto das acácias (Astolfo Dutra), Obreiros da Paz (Cataguases) e Obreiros de Miraí (Miraí).

O atual venerável é Adão Lacerda Neto.
*Fotos: Paulo Lúcio Rodrigues / Arquivo pessoal.


Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases