Proprietário de drogaria é preso em Pádua após vender comprimido abortivo para moradora de Cataguases

Um comerciante de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, foi preso em flagrante, depois de vender, para uma moradora de Cataguases, um medicamento utilizado ilegalmente para a indução do aborto. De acordo com informações, a prisão aconteceu na quinta-feira (21). Policiais Militares do 36º BPM já haviam sido alertados através de denúncia anônima e interceptaram o veículo GM Celta de aplicativo, no bairro Cidade Nova, onde viajava uma mulher, moradora de Cataguases, que levava consigo quatro comprimidos do medicamento abortivo. Ela alegou ter acabado de adquirir em uma drogaria que fica naquele mesmo bairro e que teria pago através de transferência bancária, realizada pelo companheiro, que determinou a interrupção da gestação. O comerciante foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil para as demais providências. Com informações e foto da Folha de Italva  

Eleitora reclama que não conseguiu votar na Vila Reis

A manhã de votação em Cataguases foi marcada pela tranquilidade e civilidade dos eleitores. Este ano, a quantidade de papel jogado ao chão caiu muito, mas ainda foi verificado pontos com santinhos de candidatos jogados ao solo.


Mesmo em menor quantidade, santinhos de candidatos continuam sendo lançados em frente os locais de votação.

Entre as principais ocorrências, destaque para um problema que aconteceu em uma urna eletrônica localizada em uma das seções da Escola Carmelita Guimarães na Vila Reis nesta manhã. Um militar que estava de serviço no local foi solicitado por uma eleitora que alegou não estar conseguindo votar em determinado candidato. Foi feito contato com o juiz eleitoral que enviou um funcionário do cartório até a escola para verificar o problema. Nossa reportagem apurou no local que a eleitora chegou a votar nos quatro primeiros candidatos (deputado federal e estadual e dois senadores), mas quando foi votar para governador a urna teria travado. 

Segundo a PM, o fato foi resolvido administrativamente e lavrado em Ata, não havendo necessidade de Boletim de Ocorrência. No local nós fomos informado que a urna não precisou ser trocada, mas que estava em observação para ver se o problema voltaria a ocorrer.

Nós tivemos informações de que outros problemas com urna eletrônica ocorreram em outras localidades, mas ainda não conseguimos confirmação oficial.



Segundo o comandante do pelotão de Cataguases, policiais militares encontram-se de plantão em todos os locais de votação e equipes motorizadas realizam o policiamento preventivo com a finalidade de inibir crimes eleitorais.

A votação acontece até as 17 horas.



Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases