Polícia Militar prende em Cataguases foragido da justiça

Na sexta-feira (5), a Polícia Militar prendeu um foragido da justiça, na MG-447 próximo a localidade conhecida como Sereninho. Segundo a PM, a prisão foi possível após uma denuncia anônima dando conta de que o homem, de 38 anos, vulgo Bengala, com mandado de prisão em aberto, transitava pelo bairro Tomé em um veículo de aplicativo. Abordado, nada de ilícito foi localizado em seu poder, sendo dado voz de prisão e encaminhado para Delegacia de Polícia Civil para as demais providências. 

Suposta fraude na cota de gênero pode alterar resultado da eleição dos vereadores em Cataguases


O Ministério Público solicitou a instauração de Inquérito Policial para apurar possível fraude na cota de gênero nos partidos Cidadania e PV de Cataguases. Conforme a legislação eleitoral, 
nas eleições proporcionais (vereadores, deputados estaduais e federais), cada partido ou coligação deve preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo.

Segundo a denúncia, as candidatas Andrea Maria Messias (CIDADANIA) e Luciana De Araújo (PV), não tiveram nenhum voto (foto abaixo), o que pode configurar suposta candidatura laranja. Caso seja comprovada a fraude na cota de gênero, o fato pode levar à cassação de toda a chapa dos dois partidos, segundo o TSE. Neste caso, os votos do CIDADANIA E PV são anulados, um novo quociente partidário é calculado e as vagas redistribuídas, elegendo outros dois vereadores. De acordo com matéria do Portal G1, especialistas afirmam que não ter nem o próprio voto é sim um indício de 'candidatura laranja'. 


Se comprovada a fraude, o candidato mais votado deste pleito, Gilberto Marques De Oliveira, o Beto do Leonardo (PV), com 1.495 votos, corre o risco de ter sua eleição cassada. Da mesma forma, Fernando Medeiros Pereira, o Fernandinho de Sereno, eleito pelo CIDADANIA com 696 votos, pode ser impugnado com toda a chapa.

O simples fato das candidatas não ter tido voto, serve como indício para iniciar a investigação, mas outros fatores serão levantados durante o inquérito, para comprovar ou não a fraude. O caso mais complicado é da candidata Luciana de Araújo (PV), que além de não ter recebido nem o seu próprio voto, fez campanha aberta em rede social para o candidato Fernandinho de Sereno (foto abaixo). A Polícia Civil poderá pedir inclusive o registro da Seção Eleitoral para saber se a candidata foi votar ou não.
O fato não é novo em Cataguases, na eleição de 2016, os candidatos Hercyl Neto e Maria Ângela Girardi, quase foram impugnados por existência de supostas candidatas laranjas na coligação que apoiava Fernando Pacheco, mas o fato foi revertido na justiça e os vereadores foram diplomados.

Em todo brasil, mais de 5 mil candidatos a vereadores não tiveram votos nesta eleição, dos quais, 65% são mulheres, o que tem gerado investigações em vários municípios. Em Uberaba, o CIDADANIA entrou com representação contra os partidos DEM e PMN, pela mesma situação de Cataguases.

O Site Mídia Mineira tentou contato com o presidente do Cidadania, Irineu De Paula Gouvea Neto e com a presidente do PV, Gabriela Vairo De Almeida Peixoto Henriques, mas sem sucesso.

Comentários

Postar um comentário

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases