Pular para o conteúdo principal
Unipac
Web Certificados
Drogaria Santa Rita DecolaNet RÁDIO BRILHO CATAGUASES - MG

2 de dezembro: Minas Gerais completa hoje 301 anos de emancipação

Minas começou a ganhar autonomia administrativa em 1720, quando formou uma capitania própria e foi, por muito tempo, centro econômico brasileiro Neste dia 2 de dezembro de 2021, Minas Gerais completa 301 anos de sua emancipação da capitania de São Paulo, por alvará régio do Rei Dom João V, assinado após ouvir o Conselho Ultramarino, em 2 de dezembro de 1720. Até se tornar um estado tal qual conhecemos hoje, muita coisa aconteceu. A capitania de Minas Gerais foi o primeiro passo para a autonomia administrativa de Minas e ela é resultado do desmembramento da capitania de São Paulo e Minas do Ouro.  Com a descoberta da abundância de ouro no fim do século XVII a região se tornou o centro econômico da colônia. "Minas é, durante muito tempo, um conjunto de arraiais. Eu costumo comparar Minas nesse período com um filme de faroeste. É uma terra sem lei onde não existe um aparato administrativo, que vai se instalar só por volta de 1709 e que vai se consolidar por volta de 1720", expli

Parceria inédita com Ancine direciona quase R$ 9 milhões para o Polo Audiovisual

Novo edital é lançado e está com inscrições abertas

(Foto Ancine)

O evento de lançamento público da 2ª Etapa do Edital Coinvestimentos Regionais, realizado na sede da Energisa Minas Gerais, em Cataguases, nesta sexta-feira, 02 de agosto, marca uma parceria inédita: é a primeira vez no país que uma empresa privada participa de uma parceria pública para estruturação de um arranjo regional do setor audiovisual.



“O dia de hoje é particularmente especial para nós, Energisa e Polo Audiovisual, ao lançarmos o nosso primeiro edital de coinvestimentos regionais juntamente com a Ancine, Agência Nacional de Cinema. Fruto de uma parceria entre Governo Federal, Governo Estadual, Prefeitura de Cataguases e Energisa, esse edital vai trazer quase R$ 9 milhões de recursos para a região, fomentar toda a cadeia do audiovisual e gerar emprego e renda. Estou muito satisfeita de termos chegado nesse lugar e celebrar este momento tão único e especial”, disse Monica Botelho, presidente da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho e assessora de Relações Sociais do Grupo Energisa.

Do total de R$ 10.5 milhões de recursos disponibilizados para o edital Coinvestimentos Regionais, R$ 8.750.000,00 virão da Ancine, por meio do Fundo Setorial do Audiovisual. Na primeira etapa foram investidos R$ 1.750.000,00, provenientes de incentivos fiscais estaduais aportados pela empresa Energisa, como contrapartida local, destinados a três projetos aprovados na Lei de Incentivo à Cultura – LEIC-MG/2018, pela Secretaria de Estado da Cultura e Turismo de Minas Gerais.

“Estou emocionada em estar aqui. Desde que cheguei na Ancine, ouço muito falar do Polo Audiovisual da Zona da Mata. Que este seja apenas o primeiro investimento, que nossa parceria seja duradoura e que possa alavancar as produções e somar esforços”, comentou Debora Ivanov, diretora da Agência Nacional de Cinema (Ancine).

A conquista traz um novo impulso ao arranjo regional do setor audiovisual que vem sendo desenvolvido desde 2008, atraindo grandes produções cinematográficas para serem realizadas na região. Com o maior número de produções audiovisuais já realizadas em cidades e distritos na Zona da Mata Mineira, ao todo 14 obras movimentam a região do Polo este ano, entre elas seis produções de longas-metragens, cinco curtasmetragens e uma série para televisão, duas pós-produções e dois lançamentos de filmes produzidos em 2018, alavancando a economia da região.

Entre 2008 e 2018, foram 27 produções, 1.500 pessoas contratadas e R$ 14 milhões em investimentos por meio de isenção fiscal e impacto de R$ 29 milhões na economia da região. Já nas projeções de 2019 e 2020, esses números crescem, com 17 produções, 850 pessoas contratadas, R$ 20,5 milhões investidos por meio de isenção fiscal e um retorno de R$ 42,5 milhões, segundo dados do Sebrae.



O evento de lançamento do edital reuniu produtores, lideranças regionais, classe política, diretores e roteiristas de cinema, imprensa, além de representantes da Cultura em Minas Gerais e da Ancine – Agência Nacional de Cinema.

“A Energisa sempre participou ativamente da gestão e da cultura nas regiões em que atua, contribuindo para que as atividades econômicas e culturais se unem em torno de objetivos comuns, em especial de desenvolvimento, com destacada agregação de valor para nossa sociedade”, disse o presidente da Energisa Minas Gerais, Eduardo Mantovani.



Clique aqui para conhecer o edital.
Fonte: Assessoria de Comunicação da Energisa

Comentários

Anuncie Aqui Anuncie Aqui