Prefeito de Dona Euzébia é acusado de compra de votos e abuso de poder político na eleição

[Foto: Prefeitura de Dona Euzébia / Divulgação] O prefeito de Dona Euzébia, Manoel Franklin Rodrigues, o Nenzinho (Cidadania) e o vice-prefeito, Roberto Marques de Paula (PSDB), compareceram, na manhã desta terça-feira (23), para prestarem depoimentos no fórum de Cataguases, localizado, na Praça Dr. Cunha Neto. Os dois, prefeito e vice, respondem a ação de impugnação de mandato eletivo por compra de votos, proposta pelo segundo colocado no pleito eleitoral, Itamar Ribeiro Toledo, o Mazinho. Conforme o processo, que o Site Mídia Mineira teve acesso, a inicial aponta 10 fatos atribuídos ao atual prefeito e ao vice, que supostamente caracterizariam abuso de poder econômico e político para obter votos ou impedir que o eleitor fosse votar em outro candidato. Os fatos apontados são os seguintes: Doação de piso para eleitor, supostamente pago por Nenzinho em troca de voto; doação de cestas básicas em troca de votos; pagamento de R$ 1.500,00 a eleitora para que ela e os membros da família não

Dupla que estava hospedada em Cataguases é presa em Leopoldina suspeita de se passar por funcionários dos Correios

Dois homens com naturalidade de Duque de Caxias, na baixada fluminense, que assumiam a identidade de servidores dos Correios e de uma empresa de telefonia, foram presos pela Polícia Militar na tarde desta quarta-feira (21), na região central de Leopoldina. A prisão aconteceu após denúncias de que dois indivíduos estariam se passando como funcionários dos Correios ao abordarem pessoas em residências e comércios, recebendo valores ao realizarem a entrega de uma lista telefônica. A PM foi acionada sobre o caso e iniciou rastreamento em busca dos suspeitos, conseguindo localizá-los próximo ao Bairro de Fátima, onde os homens, de 44 e 60 anos, foram presos pelos policiais da 37ª Cia PM. 

Eles estavam com uniformes e mochilas nas costas e portavam um crachá da empresa telelistas.net, além da posse de algumas edições de listas telefônicas. Com os dois foram encontrados cerca de R$ 1.389,00 em dinheiro e de acordo com a Polícia Militar eles informaram que trabalhavam para uma empresa que seria terceirizada da Telelistas e dos Correios, fato que, conforme a polícia, não foi comprovado pelos indivíduos. A PM informou ainda que em contato com a Telelistas.net, a empresa negou que os dois tenham qualquer vínculo trabalhista. Os suspeitos disseram aos policiais que estavam hospedados em Cataguases e já haviam feito o mesmo serviço em Pirapetinga e Santo Antônio de Pádua (RJ), onde de posse de alguns catálogos telefônicos saíam para a rua batendo de porta em porta oferecendo e cobrando pelo serviço. 

Os policiais observaram que em um dos cadernos dos suspeitos existiam cadastrados vários nomes de pessoas da cidade. Após contato com algumas delas, os militares foram informados que a dupla pedia qualquer quantia em dinheiro para uma confraternização dos funcionários dos Correios após as vítimas assinarem um caderno que acusaria o recolhimento daqueles catálogos para reciclagem.  


A dupla foi presa pela PM por suspeita de estelionato e usurpação de função pública, sendo conduzida para a Delegacia de Polícia Civil onde tiveram o flagrante ratificado.

Fonte: O vigilante Online

Comentários

Banner cadastramento cartão SUS Campanha Mídia Mineira para o uso de máscaras DJ Fábio Dias Cataguases